EXCLUSIVO: A vencedora do Prêmio Gotham, Dawn Porter (Lutero: Nunca é demais) dirigirá e produzirá um documentário sobre uma das parcerias mais icônicas e politicamente carregadas da história: a história notável e em grande parte não contada de Nelson e Winnie Mandela. Ela também produzirá através de sua Trilogy Films, junto com a Schultz Family Foundation.

Baseado em Winnie e Nelson: retrato de um casamento, um livro do famoso escritor e estudioso sul-africano Jonny Steinberg, o filme explorará o profundo vínculo dos Mandelas e como o seu casamento estava inextricavelmente entrelaçado com a luta contra o apartheid. O filme promete um retrato íntimo do casamento de Nelson e Winnie, investigando sua conexão veemente e volátil desde os primeiros anos até o objetivo mútuo de desmantelar o apartheid. A sua jornada culmina na histórica eleição de Nelson Mandela como o primeiro presidente democraticamente eleito da África do Sul.

Nelson Mandela e esposa Winnie Mandela

Allan Tannenbaum/Getty Images

O projeto marca o primeiro empreendimento da Schultz Family Foundation em projetos de contação de histórias – através de filmes e séries com roteiro e documentário, podcasts e livros – vinculados à sua missão de criar maiores oportunidades, acessíveis a todos.

“Criar um filme sobre a vida de Nelson Mandela é um privilégio extraordinário e estou genuinamente entusiasmado com a colaboração com a Schultz Family Foundation e a Trilogy Films”, disse Porter ao Deadline. “A jornada de Nelson Mandela exemplifica a resiliência e a capacidade de mudança do espírito humano. Aspiramos compartilhar esta incrível odisseia com públicos de todo o mundo. Mas sua história fica incompleta sem explorar o relacionamento com sua conselheira mais influente e íntima – sua esposa Winnie. Não pode haver uma história definitiva sobre Mandela sem a compreensão da complicada dinâmica do seu relacionamento.”

Acrescentou Howard Schultz, cofundador da Schultz Family Foundation e presidente emérito da Starbucks Corporation: “No fundo, Winnie e Nelson é uma história complicada de liderança, conflito, amor e sacrifício extraordinário diante de uma brutalidade insondável onde o futuro de uma democracia estava em jogo. Minha esposa Sheri e eu nos sentimos privilegiados e honrados pela oportunidade de fazer parceria com um diretor tão respeitado e talentoso como Dawn para dar vida a este filme. Acreditamos no poder da narrativa aspiracional e centrada no ser humano para nutrir nossos laços comuns, promover nossa humanidade compartilhada e inspirar a próxima geração de líderes, e estamos ansiosos para prosseguir outros projetos em muitos formatos diferentes, alinhados com o trabalho filantrópico de nossa família e missão.”

Fundada por Porter em 2009, o foco da Trilogy Films está em conteúdo de não-ficção que conta histórias não contadas, compartilha novas perspectivas e revela a humanidade complexa de algumas das figuras mais icônicas da história. Os filmes aclamados de Porter incluem Exército de Gideão (2013), Espiões do Mississippi (2014), e Bobby Kennedy para presidente (2018). Seu último trabalho, Lutero: Nunca é demais, estreou com ótimas críticas no Festival de Cinema de Sundance de 2024. No ano anterior, ela recebeu uma indicação ao Critics’ Choice Award por ambos Diários de Lady Bird e Impasse: como a América moldou a Suprema Cortevendo este último também receber uma indicação ao Independent Spirit Award.

Porter é representado pela CAA.

Fuente

Previous articleQuem fala por Biden: Karine Jean-Pierre ou John Kirby?
Next articleBadminton Asia Team Championships 2024: Cronograma e horários das partidas da equipe da Índia